Saltar para conteúdo

Os desreguladores endócrinos e a nossa saúde

Os desreguladores endócrinos podem causar efeitos graves na saúde, como infertilidade, cancro e perturbações no desenvolvimento, por exemplo, malformações congénitas. Mas onde é que são utilizados e o que é feito para nos proteger?

O sistema endócrino é uma complexa rede de comunicação entre o sistema nervoso e as principais funções do organismo, como a reprodução, a imunidade, o metabolismo e o comportamento.

Estudos sugerem que algumas substâncias químicas que interferem com os nossos sistemas hormonais podem afetar negativamente o metabolismo, o crescimento, o sono e mesmo a nossa disposição. Essas substâncias químicas - conhecidas como desreguladores endócrinos - são sobretudo artificiais e estão presentes em materiais como pesticidas, metais ou aditivos, ou como contaminantes em alimentos e produtos cosméticos.

Os efeitos negativos na saúde provocados pelos desreguladores endócrinos incluem a queda da taxa de espermatozoides e o cancro do testículo nos homens, efeitos nos sistemas neurológico e imunitário, bem como um aumento do número de crianças do sexo masculino nascidas com malformações genitais. De facto, uma grande percentagem de jovens do sexo masculino (cerca de 40 % em alguns países) possui uma baixa qualidade de sémen, o que reduz a sua fertilidade.

Investigações recentes demonstraram também que os desreguladores endócrinos podem afetar o sistema que controla o desenvolvimento de gordura corporal e o aumento de peso. Além disso, o aumento de distúrbios neurocomportamentais, como a dislexia, o atraso mental, o autismo e o TDAH (transtorno do défice de atenção com hiperatividade), foi associado à exposição a desreguladores endócrinos.

Os seres humanos podem ser expostos a desreguladores endócrinos através dos alimentos, da poeira, da água e por inalação de gases e partículas no ar, ou simplesmente através do contacto com a pele, por exemplo, ao aplicar produtos de higiene pessoal.

Por vezes, os efeitos causados por uma substância perturbadora do sistema endócrino apenas são observados após uma longa exposição. Por exemplo, a exposição de fetos a uma dessas substâncias pode causar efeitos negativos na saúde mais tarde, quando as pessoas atingem a idade adulta. Esses efeitos também podem ser herdados pelas gerações futuras.

É possível encontrar substâncias suspeitas de serem desreguladores endócrinos em produtos quotidianos como garrafas de plástico, brinquedos, recipientes metálicos para alimentos, dispositivos eletrónicos, produtos cosméticos, pesticidas e detergentes.

The views presented in the video do not necessarily represent the official position of the European Chemicals Agency.
The video interview is from the ‘People and perspectives’ section of ECHA’s newsletter issue February 2018

O que está a UE a fazer nesta matéria?

A UE está a agir a vários níveis, desde a investigação à regulamentação, e está a identificar ativamente os desreguladores endócrinos. Cada vez mais substâncias químicas estão a ser identificadas como substâncias que suscitam elevada preocupação (SVHC) devido às suas propriedades perturbadoras do sistema endócrino.

Uma dessas substâncias químicas é o bisfenol A (BPA). O BPA está incluído na Lista de substâncias candidatas a autorização ao abrigo do Regulamento REACH, devido ao facto de ser tóxico para a reprodução e às suas propriedades perturbadoras do sistema endócrino. Ainda antes de o BPA ser formalmente identificado como uma substância que suscita elevada preocupação devido às suas propriedades perturbadoras do sistema endócrino, foi decidido proibir a sua utilização em papel térmico, no qual era utilizado como reagente de corante. Também pode ser encontrado em recibos de vendas e em bilhetes de transportes públicos e de estacionamento. A proibição entra em vigor em 2020, para dar tempo às empresas para descontinuarem gradualmente o produto e encontrarem alternativas mais seguras.

O BPA também está proibido nos biberões na UE desde 1 de junho de 2011. Na UE, o BPA pode ser utilizado em materiais que estão em contacto com os alimentos, mas existe uma quantidade máxima permitida de BPA que pode migrar do material para os alimentos. Alguns Estados‑Membros impuseram ainda restrições mais rigorosas aos produtos que contenham BPA.

Os ftalatos são substâncias químicas utilizadas frequentemente para aumentar e manter a flexibilidade de plásticos de vinil. O DEHP, o DBP, o DIBP e o BBP são quatro ftalatos que foram adicionados à Lista de substâncias candidatas que suscitam elevada preocupação devido às suas propriedades perturbadoras do sistema endócrino. Existem restrições ao fabrico e à utilização desses e de outros ftalatos.

A UE trabalha continuamente no sentido de identificar substâncias químicas perigosas, nomeadamente desreguladores endócrinos, e para assegurar que são substituídas por alternativas mais seguras. Os critérios para a identificação de substâncias químicas com propriedades perturbadoras do sistema endócrino presentes em produtos biocidas foram aprovados na UE. Os critérios são aplicáveis a partir de junho de 2018.

Siga as ligações abaixo para saber mais sobre exemplos de substâncias que estão identificadas como desreguladores endócrinos:

Saiba mais


Route: .live1