Saltar para conteúdo

Leia os rótulos

A segurança no trabalho começa pelo conhecimento e pela compreensão da rotulagem e das instruções de utilização segura de produtos químicos perigosos. Por lei, os fornecedores de produtos químicos devem classificar as suas substâncias e misturas. Aprenda a ler os rótulos e mantenha-se seguro!

As substâncias e misturas perigosas devem ser classificadas e os produtos químicos que são colocados no mercado devem ser corretamente rotulados e embalados.

Os rótulos podem ajudá-lo a identificar quais os produtos químicos que são perigosos e de que forma o podem afetar. Também fornecem instruções sobre a forma de armazenar e manusear as substâncias perigosas com segurança.

Os rótulos dos produtos que contêm substâncias químicas perigosas fornecem informações sobre os perigos físicos, e os perigos para a saúde e para o ambiente que podem ser apresentados pelo produto, bem como as precauções que devem ser tomadas para manusear os produtos em segurança. A mesma rotulagem aplica-se em todo o mundo, por isso, independentemente do local onde trabalha, aprenda a ler os rótulos e mantenha-se seguro.

Clique aqui para ver uma infografia que explica os rótulos

Consulte a classificação dos produtos químicos

Os fornecedores dos produtos químicos são responsáveis pela classificação das substâncias e misturas que fornecem. É a denominada autoclassificação.

Por vezes, a classificação é aprovada por peritos independentes a nível europeu. É a denominada classificação harmonizada. Muitas das substâncias químicas mais perigosas que afetam a saúde dos trabalhadores têm uma classificação harmonizada.

Tal significa que os fabricantes europeus são legalmente obrigados a classificar e a rotular essas substâncias da mesma forma. Assim, mesmo que mude de fornecedor, a harmonização garante que a classificação e a rotulagem da substância serão as mesmas. Esta harmonização facilitará a adoção de medidas preventivas para a utilização da substância.

Existem milhares de substâncias com classificação harmonizada e a lista continua a aumentar. O formaldeído é um dos exemplos. A sua classificação harmonizada cria um sistema de gestão dos seus riscos a nível da UE, o que constitui uma boa notícia para os trabalhadores e profissionais de muitos setores industriais, especialmente em áreas como os cuidados de saúde, a construção ou as indústrias automóvel e têxtil, onde a exposição pode ser elevada.


Route: .live1