Saltar para conteúdo

Nanomateriais no trabalho

Hoje em dia, os nanomateriais estão em quase todo o lado, mas alguns trabalhadores estão mais expostos do que outros. Se trabalha com estas ínfimas partículas de uma forma ou de outra, provavelmente interessar-se-á por esta leitura.

Alguns trabalhadores estão frequentemente expostos a nanomateriais de uma forma diferente e mais direta do que os consumidores, ainda que atualmente seja possível encontrar nanomateriais numa série de produtos.

A nanoprata reduz a quantidade de bactérias, sendo por isso utilizada em peças de roupa, máquinas de lavar loiça, frigoríficos e equipamento hospitalar, para citar alguns exemplos. Outros nanomateriais são utilizados em géneros alimentícios, equipamentos eletrónicos e produtos cosméticos, bem como em muitos outros produtos de uso diário.

Quando inalados, alguns nanomateriais podem causar uma inflamação dos pulmões e, se entrarem na circulação sanguínea, podem chegar ainda a outros órgãos, como o fígado, os rins e o baço, onde podem provocar um efeito tóxico.

O risco dos nanomateriais tem de ser avaliado caso a caso, tal como qualquer outra substância química, mas ainda são necessários mais dados antes de podermos avaliar devidamente a sua segurança. O trabalho da ECHA e de outras autoridades visa esclarecer a forma como a legislação em matéria de substâncias químicas deve ser aplicada aos nanomateriais, para que possamos garantir a sua utilização segura.

Quem trabalha com nanomateriais?

O contacto com nanopartículas pode dar-se em qualquer local de trabalho onde estas sejam produzidas ou manuseadas. Existem algumas áreas em particular, por exemplo se:

  • trabalha numa zona de embalagem na qual são produzidas nanopartículas
  • limpa ou faz a manutenção de equipamentos, como filtros
  • trabalha em processos de soldadura
  • pinta ou lixa superfícies
  • recolhe, transporta ou elimina resíduos

Como entro em contacto com nanomateriais?

Os nanomateriais podem penetrar no organismo por três vias distintas: podem ser inalados, ingeridos nos alimentos ou bebidas ou absorvidos pela pele.

Muitos pigmentos contidos em tintas, por exemplo, são efetivamente nanomateriais. Ao usar uma tinta num pulverizador, é possível inalá-los se não se usar uma proteção. Assim, a leitura dos rótulos é importante para assegurar o manuseamento do produto em segurança.

O contacto com a pele pode ocorrer pelo manuseamento de um pó ou de um líquido, como as tintas, ou pela permanência num ambiente com poeiras de nanopartículas.

As nanopartículas não deverão penetrar no organismo através de uma pele saudável, mas a minimização do contacto com a pele e a observância das práticas de higiene no local de trabalho é sempre recomendável.

A ingestão de nanopartículas provavelmente só acontece se as regras de segurança não forem observadas, por exemplo quando as mãos não são lavadas ou se o vestuário de proteção for levado para fora da zona onde foi efetuado o trabalho com as nanopartículas.

Onde posso obter aconselhamento?

Se não sabe ao certo se trabalha com materiais que contenham nanopartículas, poderá ficar a sabê-lo pela leitura dos rótulos e dos pictogramas que indicam os potenciais perigos. Deve também existir uma ficha de dados de segurança com os riscos, o equipamento de proteção pessoal e recomendações acerca das medidas a tomar em caso de exposição acidental. Se, ainda assim, não tiver a certeza, consulte o responsável técnico ou o conselheiro de segurança no seu local de trabalho.

Saiba mais sobre nanomateriais e onde são utilizados.
Logótipo do Observatório da União Europeia para os nanomateriais

Route: .live1